Ouça agora na Rádio

N Notícia

Aulas são suspensas em escola de Erebango após mães invadirem e agredirem alunos e professores

FOTO: (Foto: Reprodução RBSTV)

Aulas são suspensas em escola de Erebango após mães invadirem e agredirem alunos e professores

Prefeito da cidade diz que já acionou até um pastor para conter os ânimos, mas não obteve sucesso. Polícia investiga agressões a alunos e funcionários.

As aulas foram suspensas na Escola Municipal de Ensino Fundamental 11 de Abril, localizada na cidade de Erebango, na região do Alto Uruguai, depois das frequentes invasões dos pais dos alunos, que têm protagonizado episódios de violência contra estudantes e professores. O último caso ocorreu na quarta-feira (19), conforme explica um cartaz pendurado na frente da unidade de ensino.

“Uma mãe invadiu a escola, chegou na sala de aula, e jogou a classe na parede, agrediu um aluno com um tapa”, afirmou a diretora da instituição, Simone Scartazzini. “É muito constrangedor e causa muito medo nos alunos”, completa a diretora, dizendo que ela também já foi agredida.

A escola não possui câmeras de segurança, e o monitor que foi contratado para a controlar a portaria da escola não tem conseguido evitar a entrada das agressoras. De acordo com o prefeito da cidade, Valmor Tomazini, até um pastor foi chamado para ajudar.

“A gente tentou até monitor, segurança, um pastor pra acalmar os ânimos das crianças, ter foco na educação, mas está difícil de controlar, porque a situação já vem de anos”, disse o prefeito da cidade.

Dois boletins de ocorrência relatando as agressões foram registrados junto à Polícia Civil de Erebango. A polícia diz que já identificou as agressoras, e que encaminhou um termo circunstanciado para o Fórum.

O caso deve ser investigado em duas frentes, por agressão contra funcionários público e por agressão contra menor de idade.

Cartazes fixados nas paredes da escola pedem o fim da violência (Foto: Reprodução RBSTV)

Cartazes fixados nas paredes da escola pedem o fim da violência (Foto: Reprodução RBSTV)

FONTE: G1 Rio Grande do Sul
Link Notícia