Ouça agora na Rádio

N Notícia

João Gomes Júnior é prata nos 50m peito em Budapeste; Adam Peaty vence a prova

FOTO: CC0 Public Domain/pixabay

João Gomes Júnior é prata nos 50m peito em Budapeste; Adam Peaty vence a prova

Conquista foi no Mundial de Esportes Aquáticos, na Hungria

Christophe Simon/AFP

FOTO: Christophe Simon/AFP

Tempo que garantiu a prata a João Gomes é o novo recorde sul-americanoBater o britânico Adam Peaty, que quebrou o recorde mundial dos 50m peito duas vezes nas fases eliminatórias, era difícil, mas o brasileiro João Gomes Júnior nadou forte até o final e conquistou a medalha de prata no Mundial de Esportes Aquáticos, em Budapeste, na Hungria. Seu tempo foi de 26s52. Peaty, por vez, não estabeleceu um novo recorde, mas venceu batendo novamente abaixo da casa dos 26s, com 25s99. Completa o pódio o sul-africano Van Der Burgh (26s60). Felipe Lima, que fez o segundo melhor tempo na semifinal, não conseguiu ‘beliscar’ uma medalha com a marca de 26s78 – ele terminou em quarto lugar. Todas as informações são do site SUPER SPORTES, acesse!

Em seguida à prova, João Gomes exaltou seu compatriota, além de, claro, comemorar o feito: “Eu estou muito feliz. Só deus sabe o quanto eu batalhei para chegar aqui. Só tenho que agradecer a todo mundo que me ajudou. O Felipe é um cara que quando eu comecei a nadar, o via nadando e, cara, é agradecer a muita gente. Eu não senti que larguei tão bem, mas fui bem tranquilo, consciente do que tinha que fazer na parte final e graças a deus deu tudo certo”, afirmou ao Sportv.

A conquista reafirma a tradição brasileira neste estilo. Antes de João Gomes, o Brasil ganhou duas medalhas em Mundias nesta prova: Felipe França foi ouro em 2011 e prata em 2009. No estilo, o país verde-amarelo ainda conta com um bronze de Felipe Lima, em 2013, nos 100m peito.

Um pouco mais cedo, Marcelo Chierighini pegou a última das oito vagas da final dos 100m livre. Quarto lugar na sua série, oitavo no geral, com 48s31, o brasileiro precisa melhorar bastante para almejar um lugar no pódio, uma vez que avançaram nas primeiras posições o francês Mehdy Metella (47s65) e os norte-americanos Dressel (47s66) e Adrian (47s85).

“Estou na final, mas essa prova não encaixou. Não foi como no revezamento, que passei natural. Amanhã vou descansar, conversar com meu técnico e ver o que posso melhorar. Para ir ao pódio, tem que ser 47s7, pelo menos, então tenho que melhorar bastante”, declarou ao Sportv.

FONTE: SUPER SPORTES
Link Notícia