Ouça agora na Rádio

N Notícia

Resposta imediata: é assim que Seul planeja conter ataque nuclear da Coreia do Norte

FOTO: © AFP 2017/ CHOO YOUN-KONG

Resposta imediata: é assim que Seul planeja conter ataque nuclear da Coreia do Norte

Sendo uma potência não nuclear, a Coreia do Sul tem opções limitadas para lidar com o programa nuclear da Coreia do Norte, comunica o The National Interest.

Seul está acumulando seu próprio arsenal de capacidades convencionais únicas que incluem drones Global Hawk e outras tecnologias de reconhecimento, forças especiais e mísseis balísticos e de cruzeiro, comunica o colunista do The National Interest Kyle Mizokami. Todas as informações são da SPUTNIK NEWS BRASIL.

 Os equipamentos de reconhecimento como os Global Hawk vão ajudar a detectar a preparação para um ataque nuclear. Após Seul receber a informação sobre a preparação da Coreia do Norte para um ataque nuclear, o governo do país vai ativar a Kill Chain (conceito militar especial de ataque).

As forças especiais sul-coreanas, apoiadas pela aviação norte-americana, iriam invadir a Coreia do Norte para detectar as áreas de lançamento de mísseis. Estas forças, sublinha Mizokami, podem atacar os mísseis ou mesmo ficar escondidas.

A Força Aérea da Coreia do Sul possui cerca de 60 caças F-15K Slam Eagles que podem lançar mísseis AGM-84E SLAM para destruir os mísseis móveis instalados sobre veículos norte-coreanos.

?A Coreia do Sul possui também uma arma ainda mais mortífera para Pyongyang – os mísseis de cruzeiro Taurus que vão ser integrados nos F-15K. São mísseis de cruzeiro com alcance operacional de cerca de 500 quilômetros, por isso eles podem atingir os alvos em Pyongyang sem problemas.

Outras armas que podem ser utilizadas durante o Kill Chain incluem a família de mísseis balísticos e de cruzeiro Hyunmoo (Guarda do Céu do Norte) 2B, 2C e 3B com o alcance operacional de 500 quilômetros. Os mísseis do tipo 3B podem ser lançados de outros veículos lançadores além dos F-15K.

 

Após o início do Kill Chain, dezenas de mísseis e aeronaves equipadas com mísseis vão ser lançados contra alvos para destruir os mísseis móveis da Coreia do Norte, assassinar Kim Jong-un ou destruir os meios de comunicação de Kim Jong-un com seus operadores de mísseis, acrescenta o The National Interest.

O plano semelhante Korea Massive Punishment and Retaliation (Punição Massiva e Retaliação) vai não só ter como objetivo destruir as armas nucleares da Coreia do Norte, mas também o regime de Kim Jong-un, este plano se foca na eliminação dos líderes inimigos.

Diferentemente do Kill Chain, que envolve só ataques de mísseis da alta precisão e de forças especiais, o KMPR prevê a invasão aparentemente suicida de 3 mil fuzileiros navais sul-coreanos da brigada especial Spartan 3000 treinada para eliminar o comando militar da Coreia do Norte.

FONTE: SPUTNIK NEWS BRASIL
Link Notícia