Ouça agora na Rádio

N Notícia

Amanda alega sinusite crônica como motivo de desistência de defesa de cinturão no UFC

FOTO: Christian Petersen/AFP

Amanda alega sinusite crônica como motivo de desistência de defesa de cinturão no UFC

Brasileira justifica saída no dia luta: 'Não podia correr risco de sofrer impactos'

Campeã do peso galo do Ultimate Fighting Championship, Amanda Nunes explicou os motivos que a impediram de defender o cinturão contra Valentina Shevchenko, no sábado passado, em Las Vegas. A brasileira, que foi hospitalizada na véspera e no dia do duelo marcado para a atração principal do UFC 213, apontou a sinusite crônica como razão da desistência, pediu desculpas aos fãs e garantiu o desejo da remarcação do combate. As informações são do site SUPER SPORTES.

“Todos querem ouvir o meu lado da história sobre o que aconteceu. Eu fui diagnosticada com sinusite crônica. Já tive que lidar com isso antes, mas, dessa vez foi pior. Durante a perda de peso, senti fortes tonturas e muita dificuldade de respirar. Eu não poderia correr o risco de sofrer grandes impactos na cabeça. Após a pesagem oficial, fui ao hospital, onde apenas checaram meu sangue e desidratação. Continuei me sentindo muito mal e, no dia seguinte, voltei ao hospital, onde fizeram uma ressonância da minha cabeça e foi diagnosticada a infecção. Fui medicada com antibióticos e encaminhado a um especialista. Nunca precisei cancelar uma luta antes, mas, por motivos de saúde, não pude fazer meu trabalho por completo nesse final de semana. A luta já foi remarcada. E eu quero muito essa luta com essa mesma adversária. Peço desculpas aos meus fãs, e garanto que estarei mais preparada do que nunca”, justificou a Leoa, em postagem no Instagram. 

Amanda Nunes foi liberada pelos médicos na sexta-feira e subiu balança normalmente, confirmando a luta pelo cinturão. Na manhã de sábado, ela ligou para o presidente do UFC, Dana White, informando que voltou a ter um problema e acabou medicada novamente. Irritado com a desistência, o dirigente ressaltou, antes do evento, que a brasileira estava apta a defender o título, mas preferiu não enfrentar Valentina, alegando que não estava em boas condições. Apesar do cancelamento, a peruana recebeu US$ 70 mil referentes à bolsa para a luta, diferentemente da campeã, que ficou sem salário.

O duelo contra Valentina Shevchenko seria a segunda defesa de cinturão de Amanda Nunes, que se tornou campeã ao finalizar Miesha Tate e manteve o título com nocaute sobre a ex-campeã Ronda Rousey.  Já a peruana teria a revanche com a Leoa, que a derrotou no ano passado. Dana White disse que o confronto pelo título do peso deverá ser remarcado para 9 de setembro, no UFC 215, em Edmonton, no Canadá.

FONTE: SUPER SPORTES
Link Notícia