Ouça agora na Rádio

N Notícia

Demissão do chefe do FBI pode virar um pesadelo para Trump

FOTO: © AP Photo/ Cliff Owen

Demissão do chefe do FBI pode virar um pesadelo para Trump

O canal Fox News nomeou os cinco candidatos ao cargo de chefe do FBI. Porém, a cientista política, Jeanne Zaino, propôs para o serviço russo da Rádio Sputnik que a história com James Comey ainda não acabou.

De acordo a informação do canal Fox News, há cinco candidatos ao cargo de chefe do FBI. Seriam eles o ex-chefe do Departamento de Segurança de Transporte, John Pistole, o ex-chefe da Polícia de Nova York, Raymond Kelly, o congressista do estado da Carolina do Sul, Trey Gowdy, o governador do estado de Nova Jersey, Chris Christie, e o vice-procurador-geral dos assuntos de segurança nacional, Kenneth Weinstein. As informações são do Sputnik News.

O presidente dos EUA, Donald Trump, demitiu no dia 9 de maio o diretor do FBI, James Comey, que vinha realizando investigação a respeito de supostas "conexões com a Rússia". A demissão foi aprovada pelo ministro da Justiça, Jeff Sessions, e pelo subsecretário da Justiça, Rod Rosenstein.

 Em sua mensagem de despedida, Comey declarou que o presidente pode demitir o chefe do departamento "por qualquer razão" ou até mesmo sem razão alguma. Ele também destacou que não vai gastar tempo tentando entender a decisão tomada.

A professora de ciências políticas do Iona College (Nova York), doutora Jeanne Zaino, propôs para o serviço russo da Rádio Sputnik que a demissão de James Comey pode vir a provocar problemas para Trump: 

"Como diretor do FBI, James Comey, sempre foi bastante independente, sendo complicado controlá-lo. Aparentemente isso provocou a sua demissão. Mas, para o presidente, o passo dado pode vir a se tornar em um desastre político. Além disso, o escândalo pode receber medidas constitucionais, pois o direito do presidente ao passo dado é discutível afinal de contas."

Segundo Jeanne Zaino, Comey agora está com as mãos desamarradas, podendo muito bem falar sobre coisas que trariam dor de cabeça para Trump.  

"Ao demitir Comey, Trump, em tese, fez com que ele se tornasse livre das obrigações. Agora, Comey tem todo o direito de responder a perguntas de jornalistas ou da comissão do Senado [dos EUA] sobre a investigação. Por exemplo, estaria ou não sendo realizada investigação quanto a Trump, seria ou não verdade que Comey disse três vezes que o presidente está fora de suspeitas, como foi escrito na mensagem de Trump", supõe Jeanne Zaino.  

Ela opina que a situação em torno da nomeação do novo chefe do FBI vá depender da candidatura proposta por Trump.

"Caso seja proposta uma pessoa que esteja ligada a assuntos partidários, como o governador Chris Christie, isso poderá provocar problemas, mas caso seja proposta uma pessoa de grande confiabilidade, o FBI vai ganhar mais confiança", concluiu Jeane Zaino.

FONTE: Suptnik News
Link Notícia