Ouça agora na Rádio

N Notícia

Temer: Agronegócio não pode ser desvalorizado por pequeno núcleo

Temer: Agronegócio não pode ser desvalorizado por pequeno núcleo

Para o presidente, credibilidade do sistema foi conquistada com atuação de vários governos e empresários e não pode ser comprometida por episódio "diminuto"

O presidente Michel Temer voltou a defender a qualidade da carne brasileira em reunião com empresários na manhã desta segunda feira, durante evento da Câmara Americana de Comércio, em São Paulo.

“O agronegócio para nós no Brasil é uma coisa importantíssima e não pode ser desvalorizado por um pequeno núcleo, uma coisa que será menor, apurável, fiscalizável, punível se for o caso, mas não pode comprometer todo o sistema que nós montamos ao longo dos anos”, afirmou.

Na sexta-feira, a Polícia Federal deflagrou a Operação Carne Fraca contra um esquema que envolvia fiscais agropecuários e frigoríficos brasileiros. Várias empresas foram citadas como envolvidas com o esquema.  As ações da JBS e BRF, duas gigantes do setor, despencaram. As duas informam que adotam rigorosos padrões de qualidade em seus processos produtivos.

Para o presidente, a credibilidade do sistema foi conquistada com atuação de vários governos e empresários e não pode ser comprometida por um episódio que classificou como “diminuto”. “Temos 4.837 plantas industriais no Brasil. Ora, só 3 foram interditadas, e só 18 ou 19 serão investigadas. O Ministério da Agricultura tem 11.300 servidores e tem 30 pessoas que estão envolvidas e serão investigadas”, comparou Temer

No evento, estava presente o cônsul-geral dos Estados Unidos no Brasil, Ricardo Zuniga. O presidente também citou que, de 853.000 embarques de carne brasileira ao exterior, 184 tiveram problema e segundo ele, muitos destes de natureza “burocrática” e não “sanitária”.

Sobre os desvios na fiscalização, o presidente disse que tudo será “apurado, fiscalizado e punido, caso confirmado”.

VEJA