Ouça agora na Rádio

N Notícia

Padeiros são presos por fazer ‘brownies ilegais’ na Venezuela

Padeiros são presos por fazer ‘brownies ilegais’ na Venezuela

O governo determinou que 90% da farinha deve ser destinada a pães e não a outros produtos mais caros, como doces

A Guarda Nacional da Venezuela prendeu nesta semana quatro padeiros pela produção de brownies, croissants e outros doces “ilegais”, em decorrência de uma nova lei para combater a “guerra do pão”, em vigor desde a última segunda-feira.

Enderson Sierra e Jeanpiero Vargas, funcionários da padaria La Condesa, em Caracas, foram detidos pelo uso de farinha “em excesso” para fazer produtos doces, informou a Superintendência de Preços Justos. A produção fere a regra de que 90% do trigo deve ser destinado a pães, ao invés de bolos e alimentos mais caros. Já os padeiros Héctor Marrero e Wilmer Castillo, de um segundo estabelecimento venezuelano, usaram farinha vencida para fazer brownies, informaram as autoridades. Outra padaria permanecerá sob controle estatal por 90 dias por violar a lei.

No domingo, o vice-presidente da Venezuela, Tareck El Aissami, anunciou que o governo implantaria uma nova legislação em relação às padarias do país. O objetivo é combater o que chamam de uma “guerra” implementada pelo sindicato do setor para criar escassez. “Todos os dias haverá uma inspeção e a padaria que descumprir a legislação vai ser ocupada temporariamente pelo governo”, informou El Aissami. De acordo com um balanço da Superintendência de Preços, foram realizadas inspeções em mais de 700 padarias de Caracas durante a última semana.

VEJA