Ouça agora na Rádio

N Notícia

Eleição na Holanda: extrema-direita recebe apoio de Marine Le Pen

Eleição na Holanda: extrema-direita recebe apoio de Marine Le Pen

Holanda terá eleições legislativas nesta quarta-feira

A dirigente da extrema-direita francesa Marine Le Pen reiterou nesta terça-feira seu apoio ao aliado holandês Geert Wilders, que chamou de “amigo” e “patriota”, na véspera das eleições legislativas na Holanda. “Geert Wilders não é de extrema direita, é um patriota”, afirmou Le Pen à rádio RFI e à rede France 24.

Wilders e seu Partido para a Liberdade (PVV), de extrema-direita, poderão obter entre 20 e 24 assentos do total de 150 da Câmara dos Deputados na eleição que será realizada nesta quarta-feira. “Cada vez que, em um país, um homem se opõe à imigração maciça é tratado de populista, racista, xenófobo e etc (…). Podemos ter direito a nos opor à imigração sem que nos insultem?”, questionou a presidente da Frente Nacional (FN), que lidera as pesquisas para o primeiro turno da eleição presidencial francesa, em 23 de abril.

Perguntada se uma possível vitória de seu aliado holandês poderia lhe ajudar, Le Pen disse que isso não é necessário. “Os povos europeus rejeitam de forma maciça a UE e o que ela representa: a globalização selvagem, a desindustrialização de nossos países, a imigração maciça e o risco que a população corre”.

Em dezembro, a Justiça holandesa condenou Wilders por incitação à discriminação racial, por causa de seus discursos contra a presença de marroquinos na Holanda. O parlamentar da extrema-direita constantemente critica o Islamismo, defendendo a proibição do Corão e o fechamento de todas as mesquitas na Holanda.

Apesar de condenado, o político não recebeu nenhuma punição. Ele foi absolvido ainda das acusações de incitação ao ódio. Segundo os juízes da Corte, a condenação ao crime de discriminação já é punição suficiente para um político na posição de Wilders.

VEJA