Ouça agora na Rádio

N Notícia

O estranho chamado da PF para o depoimento de Lula

O estranho chamado da PF para o depoimento de Lula

Sem detentos presos pela corporação, agentes do Núcleo de Operações, responsáveis por mandados de busca e apreensão, estranharam convocação da Justiça

Um pedido inusitado da Justiça surpreendeu os agentes do Núcleo de Operações da Polícia Federal, em Brasília. Ao menos seis policiais estão de prontidão durante o depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. São os mesmos que fazem operações de busca e apreensão e prisões para a PF na capital.

Não é comum que a Polícia Federal acompanhe audiências sem que hajam réus presos sob a sua responsabilidade, como ocorria na Operação Zelotes, quando haviam seis detentos no Complexo da Papuda. A convocação, feita pelo juiz substituto Ricardo Augusto Soares Leite, responsável pelo interrogatório do petista, teve a justificativa de reforçar a segurança durante o depoimento.

O pedido ocorreu mesmo com a presença de um efetivo extra da Polícia Militar, do lado de fora da sala de audiências da Justiça Federal, e outro da própria PF, dentro do espaço. No processo de hoje, o ex-presidente vai se defender da acusação, feita na delação do ex-senador Delcídio do Amaral (ex-PT-MS), de que tentou comprar o silêncio do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró, também delator da Operação Lava Jato. É a primeira vez que Lula comparece à Justiça para depor na condição de réu.

VEJA