Ouça agora na Rádio

N Notícia

Autor de ataque com machado em Dusseldorf sofre de esquizofrenia

Autor de ataque com machado em Dusseldorf sofre de esquizofrenia

Agressor chegou ao país como solicitante de asilo vindo do Kosovo em 1992 e tem permissão de residência por razões humanitárias

O homem que atacou com um machado nove pessoas na estação central de Dusseldorf, na região oeste da Alemanha, é um homem de 36 anos da antiga Iugoslávia que sofre de esquizofrenia paranoide, informou nesta sexta-feira a polícia. Segundo as autoridades, ele chegou ao país como solicitante de asilo vindo do Kosovo em 1992 e tem uma permissão de residência por razões humanitárias.

Em entrevista coletiva, o chefe da polícia de Dusseldorf, Norbert Wesseler, explicou que há nove pessoas feridas, quatro delas em estado grave, entre elas uma menina de 13 anos.

O agressor, que ficou gravemente ferido ao saltar de uma ponte antes de ser detido, vivia na próxima cidade de Wuppertal. Na noite dessa quinta, seu irmão foi à polícia para informar sobre seu desaparecimento e alertar que ele havia comprado um machado porque se sentia ameaçado e perseguido.

Quando foi avisada pelo irmão sobre o desaparecimento do agressor, o ataque já tinha ocorrido na estação de Dusseldorf, explicou o responsável da Polícia regional, Dietmar Kneip.

Logo após descer na plataforma de estação, o homem começou a agredir pelas costas com um machado vários passageiros e, ao tentar voltar a entrar no vagão, o motorista fechou as portas. O agressor avançou pela plataforma e entrou no edifício principal da estação, agredindo mais pessoas, em ataque que durou cinco minutos.

O homem não tinha antecedentes, mas era conhecido pela polícia, que sabia de seus problemas mentais por um incidente registrado em 2015. Em sua primeira declaração perante os agentes que o detiveram ontem, ele afirmou que tinha certeza que a polícia iria atirar.

As forças de segurança revistaram ontem à noite sua casa em Wuppertal, onde encontraram um certificado médico com o diagnóstico de esquizofrenia paranoide e medicamentos para essa doença.

A promotoria tem a intenção de acusar o homem de nove tentativas de assassinato e explicou que, dados seus problemas psicológicos, provavelmente ingressará em um hospital prisional após ser julgado.

VEJA